Como a tecnologia gera novos negócios imobiliários? Veja o que o presente nos reserva:

O hábito de consumo mudou com a popularização da internet e isso não é nenhuma novidade. Essa transformação fez com que as indústrias, o comércio, os restaurantes e também os negócios imobiliários pensassem em novas formas de divulgar seus produtos para atender ao perfil deste novo cliente. Você ainda lembra como a prospecção era realizada antes dos grandes portais?

A imobiliária investia em propagandas no rádio, na televisão ou em outdoors. Já os corretores ligavam para possíveis interessados, faziam plantões de vendas e blitz. Todas essas metodologias, embora dificultassem o cálculo do ROI dos negócios imobiliários, acabavam dando certo porque os consumidores não tinham muitas alternativas.

Hoje, o cenário é um pouco diferente. A tecnologia transformou o mercado imobiliário. Com buscadores como o Google, os interessados em comprar ou alugar imóveis, se informam e procuram pelo corretor. Já as mídias digitais, abriram um novo canal de comunicação, pois há espaço para que os consumidores tirem suas dúvidas em tempo real. Além disso, ainda podemos citar a reinvenção do marketing, pois  tanto os blogs quanto as redes sociais substituíram as propagandas de interrupção pela publicação de conteúdos relevantes sobre os negócios imobiliários.

Mas como se preparar para atender a esse público?

Uma boa prática é ficar antenado em pesquisas. O portal VivaReal, por exemplo, divulgou um estudo sobre o que esperar do mercado imobiliário em 2017. Nele, constam informações sobre perfis, faixa etária, busca de imóveis e expectativas. Tudo isso do ponto de vista do consumidor, do corretor e da imobiliária. Algumas dessas informações coincidem com a pesquisa realizada pela equipe do Google e publicada no artigo: O que a busca revela sobre as tendências do mercado imobiliário.

A publicação alerta para o fato de que, normalmente, quando o consumidor procura por imóveis para alugar ou comprar também busca por termos como “cuidado infantil” e “aposentadoria”. Dessa forma, podemos concluir que, muitas vezes, os negócios imobiliários são fechados de forma concomitante a outro momento significativo da vida do cliente. A gestão deve estar preparada para atender a expectativa do público em situações que envolvem emoção.

Outro ponto que merece destaque no artigo do Google é que os millennials estão chegando no mercado. É preciso entender quais são as preocupações dessas pessoas e que tipo de imóveis elas procuram para atingi-las com mensagens e conteúdos relevantes.

Isso sem contar que, a cada dia, mais pessoas utilizam o celular para fechar negócios imobiliários. Desde a busca pelo apartamento perfeito até a melhor opção de pagamento. Está na hora dos gestores se preocuparem em anunciar nesse meio e utilizar a geolocalização para facilitar o contato e conquistar esses clientes.

Quais tipos de tecnologias posso utilizar em meus negócios imobiliários?

Geolocalização

No ano passado, o número de brasileiros que utilizam smartphones chegou a 168 milhões. A estatística é da Fundação Getúlio Vargas e leva a outros dados importantes: os usuários que usam o celular para pagar contas aumenta a cada ano, as compras via aplicativos também só crescem e a população conectada desenvolveu o hábito de fazer buscar no celular ao fechar uma compra física.

Diante de todas essas mudanças não  há mais motivos para não utilizar a geolocalização para impulsionar os negócios imobiliários. Como isso funciona na prática? Simples. Os imóveis disponíveis precisam estar com seu endereço e contato para locação ou venda no mapa. Os anúncios podem ser feitos de forma que possam ser encontrados quando o consumidor visita determinada região, seja como resultado de busca no Google ou por meio de softwares comercias de imobiliárias.

Menos telefone mais aplicativos de mensagens

Vamos pensar em seu hábito de consumo: você ainda usa telefone para consultar preços e produtos? Mais ou menos? Pois saiba que cada vez mais pessoas abandonam o telefone para fins comerciais. Isso porque elas não querem ser interrompidas nem quando se trata de novidades ou boas notícias. Então, nem sempre a melhor forma de impactar um cliente não é por meio de uma ligação para avisar que um imóvel com as características que ele procura está disponível.

O segredo está em criar novos canais de comunicação: Facebook, Whatsapp, chat on-line, entre outros. No entanto, existe um ponto importante neste tópico. Você pode abrir várias novas formas de falar com o cliente, mas ao fazê-lo, esteja disponível. Não há nada pior do que o consumidor entrar em contato com a imobiliária e não ter ninguém para respondê-lo. Além de perder a credibilidade, o consumidor pode simplesmente fechar a aba do seu site e abrir a do concorrente. Se a equipe dele for mais rápida do que a sua, quem levará vantagem?

Plataformas digitais

Nós já falamos aqui no blog que os imóveis que contam com investimentos em marketing imobiliário são mais valorizados e até mostramos por onde começar um trabalho com marketing digital. Mas, a grande verdade é que, a medida que essas ações mais voltadas para a necessidade do cliente vão se profissionalizando, os negócios imobiliários precisam de ferramentas mais robustas para atender ao consumidor que está mais exigente, mas que ao mesmo tempo não quer ser interrompido por propaganda.

As plataformas digitais surgem como aliadas para gerar clientes cada vez mais qualificados e assim aumentar a conversão no funil de vendas. Essas ferramentas podem ser mais focadas em marketing, em vendas ou no relacionamento com o cliente. O importante é investir em planejamento e em uma tecnologia adequada, que esteja alinhada tanto à nova realidade dos negócios imobiliários quanto às necessidades dos corretores e da gestão imobiliária.

E você, está preparado para modernizar os negócios imobiliários por meio da tecnologia? Divida sua opinião conosco nos comentários!