Quais os maiores erros cometidos por quem não analisa as notícias do mercado imobiliário

A divulgação de informações falsas se tornou uma preocupação mundial. Uma pesquisa do Instituto de Internet de Oxford (OII) mostrou que o número de notícias falsas compartilhadas por usuários de redes sociais são praticamente iguais as produzidas pelos sites, jornais e revistas profissionais. Por aqui, a inquietação é tanta que até a Universidade de São Paulo (USP) desenvolveu uma ferramenta para  contabilizar os compartilhamentos e verificar qual o alcance dessas publicações. Embora o foco principal seja a política, esses blogs também compartilham informações falsas sobre mortes de artistas, pesquisas econômicas e as notícias do mercado imobiliário também podem ser afetadas.

Recentemente, o Facebook e o Google entraram na briga para frear as notícias falsas. A rede social desenvolveu um sistema para detectar essas informações e informá-las aos usuários. Já o buscador vai impedir que os responsáveis pelos sites que propagam esse tipo de comunicação, não possam utilizar seus serviços de publicidade e, portanto, deixem de ganhar dinheiro com isso.

Na dúvida, uma boa prática é acompanhar os jornais, revistas e portais de notícias que contam com maior circulação e credibilidade no país. A Associação Nacional de Jornais está sempre atualizando a circulação impressa e digital das principais publicações e a USP conseguiu mapear quais são os principais propagadores de notícias falsas.

Mas, o que os gestores, diretores e corretores não podem deixar de fazer é não acompanhar as notícias sobre economia, política e principalmente as notícias do mercado imobiliário. Afinal, essas publicações são extremamente importantes para o planejamento estratégico dos negócios.

Abaixo, confira quais os maiores erros cometidos por quem não analisa as notícias do mercado imobiliário:

Não acompanhar as mudanças econômicas do país

Os aluguéis são reajustados por vários índices econômicos, como o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), isso por si só já exige que os gestores e corretores fiquem atentos às notícias do mercado imobiliário. É preciso analisar a saúde econômica do país para tomar decisões mais assertivas nos negócios. Afinal, se a inflação está instável, reajustar o valor do aluguel não é uma boa prática, pois pode ser que o consumidor não possa arcar com o aumento e acabe procurando outro imóvel.

Não consegue precificar com eficácia

Não precificar serviços e produtos com eficácia é uma das grandes dores dos empreendedores brasileiro. É necessário conhecer os custos e despesas, definir margem de lucro, usar fórmulas para precificar e acompanhar o mercado. E como esse monitoramento é feito? Sim, por meio da leitura de notícias do mercado imobiliário.

No post Quais são as melhores fontes para buscar pesquisa de mercado imobiliário, falamos sobre algumas formas de otimizar a precificação. Confira!

Não consegue direcionar as estratégias de marketing

Não adianta, para criar estratégias de marketing de alto engajamento e resultado é essencial conhecer a fundo o seu público alvo e acompanhar as notícias do mercado imobiliário. Só assim é possível direcionar as ações promocionais à realidade do mercado. Seja de imóveis de luxo, prédios comerciais ou apartamentos padrões, é fundamental ficar atento a esses itens para ampliar os resultados mesmo em época de inflação instável.

Agora que você já sabe da importância de acompanhar as notícias do mercado imobiliário, clique aqui e veja como a tecnologia imobiliária pode contribuir para o aumento das vendas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *